Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Sabe aquele filmes de comédia romântica em que o casal se conhece em uma escola de dança? Pois foi exatamente durante as aulas de dança que a Melissa conheceu o Edilson. E a história desse dois é digna de roteiro de filme, vem saber mais! 
“Eu e o Edilson nos conhecemos em uma escola de dança chamada Solum na Rua Consolação. Eu fazia duas vezes por semana, mas só nos víamos 1 vez na aula de Sertanejo pois, quando da matrícula, havíamos inscritos em cursos diferentes, ele com Dança de Salão e Sertanejo e eu Zouk e Sertanejo.”
“O curso teve início em outubro de 2016, porém somente no início de dezembro é que nos conhecemos. Isso porque eu sempre chegava atrasada às aulas e, como eram muitos alunos e classe lotada, eu ficava bem próxima à porta.”

“A aula era dinâmica e cada mulher dançava com um homem pois era feita a contagem de homens e mulheres antes do início da aula e se havia falta de algum dos sexos, professores(as) bolsistas eram chamados(as) para complementar o quadro.”

“Lembro que todas as vezes que o professor gritava “troca”, as mulheres ficavam paradas e os homens tinham que dançar com a dama à direita e, assim por diante.”
“Não sabia que o Edilson já havia me notado nas aulas, pois como ficava sempre no canto perto da porta e ele do outro lado da sala, nunca havíamos dançado juntos.”

“A estratégia do noivo foi interessante, percebendo que eu sempre ficava alocada naquele ponto da sala, logo no início de dezembro, Ed ficou posicionado perto de mim e, óbvio que após as trocas, nós dançaríamos pela primeira vez.”
“Dito e feito, porém naquele dia 06/12, eu estava descalça pois havia machucado o pé. Muito irritada, cara feia e bem mal-humorada, visto que naquela aula específica, o professor pedia para trocar de par de 5 em 5 min. Depois de tantas trocas, quando ouvi o grito novamente “troca”, assim que o rapaz pegou em minha mão, descarreguei um monte de palavrões dizendo estar irritada com a aula.”

“O bom moço, neste caso, o Ed, não podia perder a oportunidade de dizer que iria lavar minha boca com sabão…fiquei envergonhada e pra quebrar o gelo, ele perguntou meu nome e eu disse rapidamente e sem hesitar “Mel”… nessa hora o Ed deu risada por meu nome ser tão doce com um boca tão suja e, nesse momento, novamente o professor pediu para trocar de par.”
“As aulas seguiram, mas não pude mais comparecer por problemas familiares. Foram quase 2 semanas ausentes, mas como havia um grupo no WhatsApp com todos os alunos e os professores incluíam os vídeos, Ed teve a brilhante ideia de me procurar no grupo e me encaminhar mensagens particular.”

“Do dia em que houve a primeira conversa, nos tornamos amigos e ele me convidou para sair. Marcamos nosso primeiro encontro em 16/12 que ficou o marco do início da nossa história e, desde então, não nos desgrudamos mais….”

“Logo começamos a namorar e nossa história de amor teve o auge no dia 10/08/2018 com nosso casamento, sendo celebrado por esse grande Celebrante Vilian Farias.”
“Foi a comemoração do meu primeiro aniversário com ele. Já na véspera dia 23/05 começaram as surpresas quando ele apareceu no meu apto à noite, disse que iríamos jantar.”

“Eu nem me arrumei direito, achando que fosse um restaurante normal. Na verdade, ele me levou num dos lugares mais românticos de São Paulo (Chalezinho) para comer fondue. À meia noite (enfim dia 24/05) estávamos num lugar belíssimo, com boa comida e vinho. No entanto, não acabou por aí pois no dia seguinte, pediu folga do trabalho para ficar comigo já que eu estava em férias, além de ter saído para comprar um super presente (violão) o qual me fez emocionar muito e foi uma motivação para iniciar minhas aulas.”
“Foi uma decisão conjunta. Numa conversa, o Ed perguntou se eu tinha o sonho de me casar de noiva, com festa e tudo o que uma cerimônia deveria ter e, ao responder que sim, Ed concordou em celebrar nossa união com um casamento dos sonhos, porém devido aos seus princípios, em um almoço na casa dos meus pais, já planejando o casamento e com todos sabendo, o Ed pediu minha mão em casamento para meu pai.”
“Decidimos nos casar no final de janeiro e já em fevereiro escolhemos o buffet com data marcada para 10/08. A escolha do local foi indicação da minha irmã que tinha ido num casamento no mesmo local no ano anterior. Quando o Ed e eu visitamos o local, tivemos certeza que não precisaríamos ver mais nenhum outro lugar, pois dificilmente algum outro superaria as expectativas. Portanto, o tempo foi muito curto para organizar tudo e fizemos sempre em conjunto, ou seja, toda noite tínhamos compromisso, ou visitar fornecedores ou fazer algo para o casamento. Dormíamos bem pouco…”
“Depois de vários relatos dos convidados, o momento mais marcante foi o momento dos meus votos pois tinha decidido não ler e havia feito naquela madrugada, ou seja, não deu tempo para decorar na íntegra, então falei com o coração, sem titubear ou gaguejar, portanto, fiz a maioria dos convidados chorar, inclusive o noivo….”
“Tenho sim. Muitas ficam preocupadas com pequenos detalhes de vestido, cabelo, maquiagem e etc. O que realmente fará a diferença é propiciar uma ambiente agradável, comida e bebida farta aos convidados. Tudo o resto estará perfeito. Além disso, outra dica é fazer com que o casamento seja a cara dos noivos, nada além.”

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Ficha Técnica

O que você acha?

Não há comentários ainda.