Casamento Gisele e Henrique

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Mariée

Henrique e Gisele se conheceram no trabalho, mas foi no último dia da Gisele na empresa que Henrique tomou coragem de tomar a atitude de pedir o seu MSN! É, o msn já uniu muitos casais! E foi aí que começou uma história linda, depois de muitas e muitas conversas o casal começou a namorar e logo passou a morar juntos. A noiva contou um pouquinho da história dos dois:

“No ano de 2011 mudamos para Cascavel, passamos por maus bocados juntos. O Henrique capotou o carro no dia que estava indo me buscar em Curitiba. Três vértebras fraturadas, um ano de dores e muitos cuidados. Durante todo o tempo estive ao lado dele, ao ponto de ficar com hematomas na perna por ajudá-lo a levantar da cama… Foram situações que nunca imaginamos que um dia teríamos que enfrentar. Mas foram essas dificuldades que nos uniram ainda mais. Foram essas dificuldades que nos trouxeram a certeza que nossa escolha foi um acerto. Por isso resolvemos casar no dia 15/11/2014, para celebrar nossa união, festejar nosso amor e iniciar um novo capítulo nessa história”. 

Mariée
Mariée
Mariée
Mariée

O casal sempre sonhou com um casamento pela manhã ao ar livre, para que todos pudessem aproveitar o dia. Os preparativos do grande dia duraram um ano, que valeu muito a pena.  A maior inspiração foram os mini-weddings e casamentos rústicos ao ar livre. O estilo foi rústico eco sustentável, lindo!

Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée

A cerimônia foi no civil com a presença do juiz no local. A irmã da noiva, Patrícia, foi quem conduziu a cerimônia, e a amiga Mariel fez uma reflexão e benção aos noivos. Mais especial ainda quando feitos por pessoas próximas e queridas, né?

Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée

A noiva escreveu um textinho antes do casamento que fala o significado deste dia para um casal que já praticamente tinha a “vida de casados”:
“Quando fomos morar juntos, seis meses após começar a namorar, nada foi planejado. Foi uma loucura na realidade, um susto para muitos. No começo não foi fácil, brigamos muito por motivos bobos, passamos por momentos difíceis: a complicada fase de aprender a conviver com as diferenças um do outro. Mesmo morando debaixo do mesmo teto, não fazíamos planos juntos, a individualidade continuou por um bom tempo. Existia o receio de não dar certo. Quase cinco anos depois, muitas pessoas perguntam porque vamos nos casar, comentam que nada vai mudar. Confesso que também já pensamos dessa forma. Mas agora consigo visualizar nosso casamento como algo que vai além de mera formalidade ou sonho de menina. Vejo nosso casamento como o amadurecimento da nossa relação. Mudamos muito, quem nos conhece a bastante tempo sabe que a mudança vai muito além dos quilinhos adquiridos. Agora, mais do que nunca, fazemos planos juntos… Pensamos na nossa casa, nos filhos que virão e mentalizamos nossa velhice. Não pensamos mais individualmente. Acho que chegamos na etapa que é o real significado do casamento: Nos tornamos um só! Agora, depois de tanto tempo, temos a certeza de que tudo dará certo. Não nos vemos mais um sem o outro e nos sentimos preparados para os próximos passos da vida. Temos segurança um no outro. Acho que isso é a tal “sorte de um amor tranquilo” que o Cazuza cantava. O que vai mudar com o casamento? Aparentemente, nada! No dia 16/11 vamos continuar exatamente da mesma maneira. Mas simbolicamente um novo ciclo se iniciará. Esperamos que nossa doce loucura de dezembro de 2009 gere frutos e que uma família muito feliz seja formada. Mas essa parte são cenas para os próximos capítulos, para os capítulos que serão escritos após o dia 15/11/14”.

Lindo! Desejamos muitas felicidades para esse casal!

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Ficha Técnica

O que você acha?

Não há comentários ainda.