Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Mariée

O casamento de hoje é de um casal fofíssimo e apaixonado que já apareceu por aqui! Caique (CA) e Fernanda (FE), nascidos em Londrina-PR e pé vermelhos de coração, se conheceram tomando café e escolheram homenagear sua cidade e suas raízes casando-se no Museu Histórico de Londrina, num casamento cheio de criatividade e com cheirinho de café.

Eles se conheceram em 2002 em um cursinho pré vestibular. Como? Tomando um cafezinho! Um ano depois os dois foram morar juntos em Curitiba, se formaram em Geologia, fizeram também mestrado. E como a vida tem dessas coisas, tiveram que viver longe um do outro por 4 anos: ele é empresário em Londrina e ela trabalhava com pesquisa mineral, vivia entre Goiás – Rio de Janeiro – Roraima (sim, Roraima). Demorou um tempão, mas finalmente, após 12 anos juntos (um pedido de casamento e um anel de noivado arrebatador), eles resolveram se casar.

Mariée
Mariée

O casamento foi temático e teve um conceito super diferente e interessante! Onde a prioridade sempre foi fazer algo autêntico, leve, DIY e repleto de detalhes. O Noivo nos explica como foi escolhido o tema:

Noivo: “Era dia do pioneiro, estávamos visitando o Museu Histórico de Londrina, quando sentadinhos num banco admirando a arquitetura do local eu disse para Fer: “Poderíamos casar aqui no museu do café o que acha? Nós amamos tanto nossa cidade, amamos café, nós conhecemos tomando café!”. E ela com um sorrisão completou: “e…nossas iniciais juntas formam CA+FE!. Pronto! de forma inusitada o tema havia sido escolhido e emocionados, a partir daquele momento passaram a sonhar juntos aquele sonho.”

Inspirados nos casamentos americanos e sua papelaria, eles aceitaram o desafio DIY, e mesmo separados por 4.469 km, fizeram sozinhos toda a identidade visual do casamento: site, save the date, convites, photobooth e grande parte dos objetos de decoração.

Noiva:Deu um trabalhão mas fizemos tudo com muito amor para que cada detalhe tivesse a nossa cara, não queríamos um casamento engessado. Foram meses de dedicação total, recortando, digitalizando, pintando e se pudéssemos faríamos tudo de novo! Queríamos que todos se sentissem queridos e amados. Ver a emoção nos olhos deles ao abrirem o convite enchia nossos corações de felicidade, era muito amorAté hoje recebemos comentários dos convidados sobre os pequenos detalhes da festa, de como tudo estava lindo e como foi emocionante. Acredito que a energia e o amor que empregamos nas coisas é o que transforma elas em especiais!”

Mariée
Mariée

E foi neste clima de cumplicidade e espontaneidade que amigos a familiares se envolveram nos preparativos. Lá de Mato Grosso vieram as flores de algodão, colhidas pessoalmente por amigos; o mesmo aconteceu com as ramas de café, colhidas na região e as sempre-vivas colhidas pela noiva lá no topo de uma montanha em Goiás. Além disso também houve pedras semi-preciosas trazidas do Rio Grande do Sul e mini-detalhes trazidos do RJ, E.U.A e da Inglaterra.

O tema estava em cada detalhe: no convite (onde os envelopes eram em tecido de estopa); nos arranjos de mesa; nos detalhes da decoração (como a xícara que carregou as alianças); e cafeteria montada no salão e até a grinalda e a lapela, que, feita com metal e pedras semi-preciosas, representa ramas de café. “Foi uma decoração rica, cheia de significados, onde cada detalhe contava um pedacinho da nossa história” diz a noiva.

Mariée

 

Como não poderia ser diferente, a escolha da carruagem foi carregada de significados. A noiva chegou na cerimônia com um fusquinha amarelo 79’, carro que está na família a vinte anos e sempre foi muito presente na história do casal. O que ninguém sabe é que 2 dias antes do casamento um acidente destruiu completamente a lateral do fusca! “Ficamos desconsolados! Mas encontramos um funileiro que abraçou a causa e conseguiu conserta-lo a tempo para cerimonia!” – diz o noivo.

Mariée
Mariée
Mariée
Mariée

No fim, tudo esteve perfeito e o amor transbordou! E as belíssimas palavras do Pastor Longuini serviram para emocionar ainda mais os convidados.  O resultado?… um imenso coração que surgiu quase que sozinho durante a sessão de fotos! “Vivemos um dia muito especial, nos sentimos amados e pudemos demonstrar o orgulho que sentimos de nossas raízes e o amor por todos que estavam lá com a gente!

Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée
Mariée

Um casamento lindíssimo e um amor ainda mais belo! Felicidades ao casal, viva o casamento de CA+FE!

Não esqueça de conferir o vídeo LINDO da NKG abaixo:

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Ficha Técnica

O que você acha?

Não há comentários ainda.