25/09/20

10 Livros sobre feminismo para
quem quer saber mais sobre o assunto

Quer saber mais sobre feminismo? Vem conferir a nossa lista de livros sobre o assunto!
Comportamento

PRÓXIMO

3 Acessórios para sua Rotina de Skincare

ANTERIOR

Alianças, Solitários e Joias de Casamento Vivara - Um Amor de Verdade

10 livros sobre feminismo para quem quer saber mais sobre o assunto
Você quer saber mais sobre o feminismo? Elencamos 10 livros que podem te ajudar a compreender sobre a luta de mulheres pela igualdade. Confira no post!  

Livros sobre feminismo

"Ninguém nasce mulher: torna-se mulher”

A clássica frase de Simone de Beauvoir, dita em 'O Segundo Sexo' (1949) virou uma máxima do movimento feminista, corrente que tem ganhado destaque no debate público nos últimos anos. 

O assunto é complexo e de extrema relevância. Aliás, ele vai muito além das redes sociais: existem diversas acadêmicas, escritoras e outras pensadoras que debatem o tema com profundidade.

Portanto, se você quiser saber mais sobre o assunto, te convidamos a sair um pouco da tela do celular e partir para os livros! 
A lista é enorme, mas, para te ajudar nesta tarefa, elencamos 10 livros sobre feminismo!

10 livros sobre feminismo

1. Um Teto Todo Seu, Virginia Woolf

Descrição: 
Baseado em palestras proferidas por Virginia Woolf nas faculdades de Newham e Girton em 1928, o ensaio 'Um teto todo seu' é uma reflexão acerca das condições sociais da mulher e a sua influência na produção literária feminina. 

A escritora pontua em que medida a posição que a mulher ocupa na sociedade acarreta dificuldades para a expressão livre de seu pensamento, para que essa expressão seja transformada em uma escrita sem sujeição e, finalmente, para que essa escrita seja recebida com consideração, em vez da indiferença comumente reservada à escrita feminina na época. 



2. O Segundo Sexo, Simone de Beauvoir

Descrição: 
'O segundo sexo' foi publicado originalmente em 1949 e consagrou Simone de Beauvoir na filosofia mundial. A obra, no entanto, não ficou datada e tornou-se atemporal e definitiva. 

Na edição brasileira pela Editora Nova Fronteira, o boxe traz a divisão original em dois volumes. No primeiro volume, a autora aborda os fatos e os mitos da condição da mulher numa reflexão fascinante. Já no segundo, Simone de Beauvoir analisa a condição da mulher em todas as suas dimensões: sexual, psicológica, social e política. Uma obra fundamental, que inaugurou um novo modelo de pensamento sobre a mulher na sociedade.



3. O Mito da Beleza, Naomi Wolf

Descrição: 
Clássico que redefiniu nossa visão a respeito da relação entre beleza e identidade feminina. Um dos livros mais importantes da terceira onda feminista. 

Em 'O mito da beleza', a jornalista Naomi Wolf afirma que o culto à beleza e à juventude da mulher é estimulado pelo patriarcado e atua como mecanismo de controle social para evitar que sejam cumpridos os ideais feministas de emancipação intelectual, sexual e econômica conquistados a partir dos anos 1970. 

As leitoras e os leitores encontrarão exposta a tirania do mito da beleza ao longo dos tempos, sua função opressora e as manifestações atuais no lar e no trabalho, na literatura e na mídia, nas relações entre homens e mulheres e entre mulheres e mulheres. Naomi Wolf confronta a indústria da beleza, tocando em assuntos difíceis, como distúrbios alimentares e mentais, desenvolvimento da indústria da cirurgia plástica e da pornografia. 


4. O Feminismo é Para Todo Mundo: Políticas Arrebatadoras, bell hooks

Descrição: 
O feminismo sob a visão de uma das mais importantes feministas negras da atualidade. Eleita uma das principais intelectuais norte-americanas, pela revista Atlantic Monthly, e uma das 100 Pessoas Visionárias que Podem Mudar Sua Vida, pela revista Utne Reader, a aclamada feminista negra bell hooks nos apresenta, nesta acessível cartilha, a natureza do feminismo e seu compromisso contra sexismo, exploração sexista e qualquer forma de opressão. 

Com peculiar clareza e franqueza, hooks incentiva leitores a descobrir como o feminismo pode tocar e mudar, para melhor, a vida de todo mundo. Homens, mulheres, crianças, pessoas de todos os gêneros, jovens e adultos: todos podem educar e ser educados para o feminismo. Apenas assim poderemos construir uma sociedade com mais amor e justiça.

O livro apresenta uma visão original sobre políticas feministas, direitos reprodutivos, beleza, luta de classes feminista, feminismo global, trabalho, raça e gênero e o fim da violência. Além disso, esclarece sobre temas como educação feminista para uma consciência crítica, masculinidade feminista, maternagem e paternagem feministas, casamento e companheirismo libertadores, política sexual feminista, lesbianidade e feminismo, amor feminista, espiritualidade feminista e o feminismo


5. Uma Autobiografia, Angela Davis

Descrição: 
Lançada originalmente em 1974, a obra é um retrato contundente das lutas sociais nos Estados Unidos durante os anos 1960 e 1970 pelo olhar de uma das maiores ativistas de nosso tempo. 

Davis, à época com 28 anos, narra a sua trajetória, da infância à carreira como professora universitária, interrompida por aquele que seria considerado um dos mais importantes julgamentos do século XX e que a colocaria, ao mesmo tempo, na condição de ícone dos movimentos negro e feminista e na lista das dez pessoas mais procuradas pelo FBI. 

A falsidade das acusações contra Davis, sua fuga, a prisão e o apoio que recebeu de pessoas de todo o mundo são comentados em detalhes por essa mulher que marcou a história mundial com sua voz e sua luta.

Questionando a banalização da ideia de que 'o pessoal é político', Davis mostra como os eventos que culminaram na sua prisão estavam ligados não apenas a sua ação política individual, mas a toda uma estrutura criada para criminalizar o movimento negro nos Estados Unidos. Além de um exercício de autoconhecimento da autora em seus anos de cárcere, nesta obra encontramos uma profunda reflexão sobre a condição da população negra no sistema prisional estadunidense.



6. Quem tem medo do feminismo negro?, Djamila Ribeiro

Descrição: 
'Quem tem medo do feminismo negro?' reúne um longo ensaio autobiográfico inédito e uma seleção de artigos publicados por Djamila Ribeiro no blog da revista Carta Capital , entre 2014 e 2017. No texto de abertura, a filósofa e militante recupera memórias de seus anos de infância e adolescência para discutir o que chama de “silenciamento”, processo de apagamento da personalidade por que passou e que é um dos muitos resultados perniciosos da discriminação. 

Foi apenas no final da adolescência, ao trabalhar na Casa de Cultura da Mulher Negra, que Djamila entrou em contato com autoras que a fizeram ter orgulho de suas raízes e não mais querer se manter invisível. Desde então, o diálogo com autoras como Chimamanda Ngozi Adichie, bell hooks, Sueli Carneiro, Alice Walker, Toni Morrison e Conceição Evaristo é uma constante. 

Muitos textos reagem a situações do cotidiano — o aumento da intolerância às religiões de matriz africana; os ataques a celebridades como Maju ou Serena Williams – a partir das quais Djamila destrincha conceitos como empoderamento feminino ou interseccionalidade. Ela também aborda temas como os limites da mobilização nas redes sociais, as políticas de cotas raciais e as origens do feminismo negro nos Estados Unidos e no Brasil, além de discutir a obra de autoras de referência para o feminismo, como Simone de Beauvoir.




7. Sejamos todas feministas, Chimammanda Adichie

Descrição: 
O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos todos feministas, ensaio da premiada autora de 'Americanah' e 'Meio sol amarelo'. 

"A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente." 

Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. "Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: 'Você apoia o terrorismo!'". 

Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e — em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são "anti-africanas", que odeiam homens e maquiagem — começou a se intitular uma "feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens". 

Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade.



8.  Mulheres, Raça e Classe, Angela Davis

Descrição:
Mais importante obra de Angela Davis, 'Mulheres, raça e classe' traça um poderoso panorama histórico e crítico das imbricações entre a luta anticapitalista, a luta feminista, a luta antirracista e a luta antiescravagista, passando pelos dilemas contemporâneos da mulher. O livro é considerado um clássico sobre a interseccionalidade de gênero, raça e classe.


9. Mulheres que correm com os lobos, Clarissa Pinkola Estés

Descrição:
Os lobos foram pintados com um pincel negro nos contos de fada e até hoje assustam meninas indefesas. Mas nem sempre eles foram vistos como criaturas terríveis e violentas. Na Grécia antiga e em Roma, o animal era o consorte de Artemis, a caçadora, e carinhosamente amamentava os heróis. A analista junguiana Clarissa Pinkola Estés acredita que na nossa sociedade as mulheres vêm sendo tratadas de uma forma semelhante. Ao investigar o esmagamento da natureza instintiva feminina, Clarissa descobriu a chave da sensação de impotência da mulher moderna. 

Seu livro, 'Mulheres que correm com os lobos', ficou durante um ano na lista de mais vendidos nos Estados Unidos. Abordando 19 mitos, lendas e contos de fada, como a história do patinho feio e do Barba-Azul, Estés mostra como a natureza instintiva da mulher foi sendo domesticada ao longo dos tempos, num processo que punia todas aquelas que se rebelavam. 

Segundo a analista, a exemplo das florestas virgens e dos animais silvestres, os instintos foram devastados e os ciclos naturais femininos transformados à força em ritmos artificiais para agradar aos outros. Mas sua energia vital, segundo ela, pode ser restaurada por escavações psíquico-arqueológicas' nas ruínas do mundo subterrâneo. Até o ponto em que, emergindo das grossas camadas de condicionamento cultural, apareça a corajosa loba que vive em cada mulher.


10. Os homens explicam tudo para mim, Rebecca Solnit

Descrição: 
Em seu ensaio icônico 'Os Homens Explicam Tudo para Mim', Rebecca Solnit foca seu olhar inquisitivo no tema dos direitos da mulher começando por nos contar um episódio cômico: um homem passou uma festa inteira falando de um livro que “ela deveria ler”, sem lhe dar chance de dizer que, na verdade, ela era a autora. 

A partir dessa situação, Rebecca vai debater o termo mansplaining, o fenômeno machista de homens assumirem que, independente do assunto, eles possuem mais conhecimento sobre o tema do que as mulheres, insistindo na explicação, quando muitas vezes a mulher tem mais domínio do que o próprio homem. 

Por meio dos seus melhores textos feministas, ensaios irônicos, indignados, poéticos e irrequietos, as diferentes manifestações de violência contra a mulher, que vão desde silenciamento à agressão física, violência e morte. Os Homens Explicam Tudo para Mim é uma exploração corajosa e incisiva de problemas que uma cultura patriarcal não reconhece, necessariamente, como problemas. 

Com graça e energia, e numa prosa belíssima e provocativa, Rebecca Solnit demonstra que é tanto uma figura fundamental do movimento feminista atual como uma pensadora radical e generosa.


--

Gostou da lista? Já leu algum livro? Conta para a gente!

Share Post.

00

00

00

Tags.

# livros # literatura # livros sobre feminismo
Newsletter
Receba informações
e novidades do
universo Mariée
REGISTRAR

Guia de Fornecedores

“Encontre o Profissional ideal para seu Casamento ou Evento!”

CATEGORIAS

TODAS AS CATEGORIAS
Moda
Acessórios & Grinaldas
Aluguel de Trajes
Joias & Alianças
Lingerie
Sapatos para Noivas
Traje para Noivos & Padrinhos
Vestidos de Festa
Vestidos de Noiva
Comunicação
Caligrafia
Convites & Papelaria
Itens Personalizados
Lembrancinhas
Pista Personalizada
Serviços
Assessoria & Organização Cerimonial
Celebrante
Filmagem
Fotografia
Serviços Especiais
Entretenimento
Bandas & Atrações Especiais
Cabines & Fotos Instantâneas
Coral & Orquestra
DJ, Iluminação & Sonorização
Música para Cerimônia
Música para Jantar & Recepção
Decoração
Decoração & Cenografia
Flores
Materiais para Locação
Gastronomia
Bebidas & Serviços de Bar
Bem Casados
Bolos
Buffets & Banqueteiros
Cafeteria
Doces & Delícias
Noivado
Beleza / Estética
Cabelo, Make & Dia da Noiva
Clínicas de Estética
Espaços
Espaços para Eventos
Viagem & Lua de Mel
Agências de Viagens
Hotéis & Resorts
Quem casa quer Casa
Arquitetura
Destination Wedding
Destination Wedding planner
Espaço para Destination Weddings

LOCALIZAÇÃO

TODOS OS ESTADOS
Distrito Federal
Espirito Santo
Maranhão
Minas Gerais
Paraná
Pernambuco
Rio de Janeiro
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
São Paulo
Itália
México
Portugal
ATENDE TODO O BRASIL
ATENDE TODO O MUNDO

CIDADE

SELECIONE UM ESTADO
Deixe Seu Comentário.
Publicidade

ANTERIOR

3 Acessórios para sua Rotina de Skincare

PRÓXIMO

Alianças, Solitários e Joias de Casamento Vivara - Um Amor de Verdade